Santo Eusébio: A família e sua juventude

Enquanto a perseguição de Diocleciano e Maximiano aterrorizava Roma, o pai de Eusébio foi trazido prisioneiro da África para Roma. Antes de chegar ao destino morreu deixando sua consorte de nome Restituta, uma filha que se distinguia por sua virgindade e um único filho.

Estatua de Santa Restituta

Nascido de nobre família da Sardenha veio a Roma e aqui foi batizado pelo Papa Eusébio que lhe impôs o seu próprio nome. Durante as perseguições contra os cristãos os sobreviventes enterravam com veneração os corpos dos mártires nas catacumbas; os cristãos desciam com freqüência às catacumbas para rezar a seus familiares. Depois que o imperador Constantino deu liberdade de culto aos cristãos no ano 313, no período em que Eusébio estava em Roma, as catacumbas se tornaram centros de veneração dos santos mártires.

Eusébio, visitando nas catacumbas os túmulos de muitos mártires anônimos, rezava e pensava em seu futuro; também ele haveria de testemunhar sua fé com a vida? Era uma hipótese que todos os jovens cristãos daquela época deviam colocar.

Santo Eusébio distinguia-se não apenas pela fé em Jesus Cristo, mas aprendeu também as artes liberais e ensinava com competência a Sagrada Escritura porque sua sabedoria era bem maior da sua idade. Neste tempo Eusébio foi ordenado leitor da Igreja romana; aquilo que ele acreditava de coração ensinava com palavras e, em sua longa permanência em Roma, serviu a Deus no exercício prudente e fervoroso deste ministério.

O povo estava satisfeito com Eusébio, escutava de bom grado seus ensinamentos e todos o reverenciavam. Este servo de Deus ensinava com autoridade. Expõe sua doutrina com autoridade quem pratica com obras aquilo que ensina com palavras.

O leitorado nos tempos de Eusébio, era o inicio ordinário da vida eclesiástica. Ao leitor cabia ler a Bíblia, cantar os versos e abençoar o pão e todos os frutos novos. O ministério de leitor era conferido pelo bispo que entregava o livro das Escrituras e dizia: “Toma e sê anunciador da Palavra; se cumprires esta tarefa com fidelidade e proveito terás parte com aqueles que serviram a Palavra de Deus!”

Em Roma, nos anos que ali esteve Eusébio, a escola dos leitores tornou-se uma espécie de seminário. Muitos leitores se tornaram presbíteros, bispos e até papa.

Eusébio foi enviado à Vercelli, região no norte da Itália, como bispo daquela igreja nascente; aí organizou a vida do clero, trabalhando incansavelmente para levar àquelas populações a Boa Nova do evangelho. O contexto pagão exigia pastores santos e missionários incansáveis. Eusébio era a pessoa certa para este trabalho de evangelização!

Leia também