A nossa missão hoje

Olhando para o mistério de amor de Deus Pai, Filho e Espírito Santo, aprendemos a viver na terra como filhos e irmãos.

Revelamos a grandeza e a ternura do coração de Deus para os mais fracos de seus filhos, se fazemos pessoalmente e comunitariamente experiência do seu amor.

A consciência que a Trindade sempre opera, para comunicar com cada homem e com toda a humanidade, acende em nós o desejo do anuncio evangélico a todo homem que a Providencia põe no nosso caminho.

Percebemos que a evangelização dos pobres é a nossa primeira missão. A Palavra nos faz encontrar a humanidade pobre e nos torna conscientes das grandes pobrezas do homem de hoje. Por isso sentimos a urgência da nossa pessoal e comunitária evangelização, para que o nosso anuncio se torne experiência e testemunho de amor.

Viver em comunhão, ser um só coração e uma só alma, torna visível aos irmãos a Trindade. A Trindade nos ensina a amar "a corpo místico". Todo homem e a humanidade inteira nos pertence. Aprendemos a fazer a experiência de Deus no irmão, a viver constantemente com a Trindade, que mora em nós e também no irmão.

Amar "a corpo místico" é amar todo irmão, preferencialmente os últimos, os pequenos, os sofredores, os pobres... Viver relações trinitárias é passar do serviço ao pobre à comunhão com o pobre e assim se comunica Deus. O irmão, em nossa comunidade, deve sentir-se "em casa".

Todo homem é precioso aos olhos de Deus, porque criado a sua imagem e semelhança e chamado à comunhão eterna com Ele. Papa Paulo VI fala de "culto do próximo", isto é, de uma estima da pessoa humana tal, que se lhe dê o primeiro lugar, a prioridade sobre toda outra realidade.

Jesus vendo as multidões, comoveu-se porque eram como ovelhas sem pastor. É este olhar de compaixão para os mais abandonados e indesejados que Deus continua a doar-nos, como carisma vivente hoje. O nosso serviço de caridade mede a nossa fidelidade esponsal a Jesus: servir o pobre é servir a Ele (Cfr.Mt25,35-36).

Jesus nos revelou as profundezas do amor do Pai e devolveu a todo homem a plena dignidade de filho de Deus. Com esta consciência no exercício da caridade, acolhamos cada homem como nosso irmão e como filho de Deus. Esta fé inspira as nossas atitudes interiores e o nosso serviço. Ninguém entre nós é mestre, ninguém é superior ao outro, a verdadeira grandeza é ser pequenos a serviço de todos.

Leia também