Ário e a Heresia Ariana

Ário, sacerdote de Alexandria do Egito, negava a divindade de Jesus Cristo. Ele dizia: Ele não é eterno como o Pai, não é gerado, mas criado. Jesus Cristo, segundo Ário, não é o Verbo de Deus encarnado, verdadeiro Deus e verdadeiro Homem, como a Igreja ensinava desde o inicio de sua evangelização dos Apóstolos e os textos inspirados da sagrada Escritura.

Em breve tempo, a heresia espalhou-se em todo o Oriente provocando fortes reações na hierarquia, na igreja, nos mosteiros e no povo de Deus.

Em 325 o Concílio de Nicea definiu com autoridade a doutrina católica sobre os pontos contestados e reafirmou a fé em Jesus Cristo unigênito Filho de Deus, gerado, não criado, consubstancial ao Pai, por Ele tudo foi feito no céu e na terra.

Mais tarde alguns Bispos manifestaram-se descordes quanto ao documento conciliar dando assim origem a um vasto movimento de correntes heréticas, apoiadas pelo imperador Constanzo que se considerava bispo dos bispos mesmo sendo ele um simples catecúmeno.

No Ocidente o nome de Eusébio de Vercelli era bem conhecido por todos aqueles firmes defensores da doutrina católica contra os arianos.

O Papa Libério em 353, considerou necessário a convocação de um Concílio a ser celebrado no ocidente; o imperador deu seu consentimento à condição que este fosse celebrado na cidade de Arles, na França, onde ele vivia. Aqui os bispos da corte do imperador impedem as discussões e impõem a condenação de Atanásio, bispo de Alexandria do Egito, indomável confessor da doutrina definida em Nicea, contrariado pelo imperador que o considerava inimigo pessoal. Somente São Paulinho não aceitou esta imposição e logo foi mandado no exílio na Frigia, onde morreu.

Uma multidão de funcionários do imperador se espalharam pelas províncias da Itália para impor aos bispos, ausentes em Arles, de subscrever a condenação de Atanásio. Eusébio deixou imediatamente a cidade de Vercelli para refugiar-se com alguns discípulos na colina de Crea para se subtrair à imposição imperial, e, desaparecendo a ameaça voltou à sua morada.

Leia também